Área do Cliente

 

Artigos

Os Principais Cuidados ao Escolher uma Franquia

Os principais cuidados ao escolher uma franquia

Muito procuradas principalmente por aqueles que pretendem ter seu primeiro negócio, ter uma franquia vêm sendo uma opção em crescimento mesmo em tempos de recessão.

Contudo, o empreendedor que lança mão dessa alternativa deve ter em mente que a aquisição de uma franquia é um investimento que traz consigo todos os riscos empresariais de qualquer novo negócio (para conhecer valiosas recomendações nesse sentido leia nosso artigo “Fuja dos 10 erros básicos de quem começa um negócio” mesmo que conte com diferenciais muito interessantes, como marca consagrada, experiência do franqueador, suporte operacional, processos de trabalho definidos, publicidade, dentre outros. Por essa razão, é indispensável se cercar de precauções. Um primeiro cuidado é saber se seu perfil de pessoa se enquadra no perfil de um franqueado, pois você terá que aceitar regras e padrões definidos pela franqueadora e que não poderão ser mudados sem sua autorização. Se você está iludido pensando que com você será diferente, dê um passo para trás e repense sua estratégia. Muitas histórias de insucesso nesse segmento são produto dessa mentalidade.

Superada essa avaliação fundamental, e antes de começar a procurar uma franquia que viabilize seu sonho de ser empresário, você precisa conhecer alguns termos e conceitos desse segmento. Para isso, leia nosso artigo “20 Sugestões de Franquias de Baixo Custo” e fique muito bem informado. Em seguida, reflita com muita atenção sobre a lista de recomendações que preparamos para você e diminua muito os riscos do seu investimento:

1. Não Existe Mágica

Primeiramente você deve olhar com muita desconfiança para ofertas de franquias que prometam retornos faraônicos muito rapidamente. O retorno médio do investimento em uma franquia varia entre 18 e 36 meses. Pense bem: se um tipo de negócio com retorno relâmpago de investimento existisse, por que teria alguém à frente dele se esforçando para vendê-lo para você? Pelo contrário, você teria que entrar numa fila imensa para poder se candidatar à “vaga” de franqueado e o preço dessa franquia seria exorbitante.

Não seja pego pela ilusão do ganho rápido, pois sucesso empresarial exige foco e dedicação. Procure, antes de tudo, explorar quais serão os principais desafios que você terá pela frente no negócio escolhido e o nível de suporte que a franqueadora te dará. Se tudo te parecer muito fácil, desconfie.

2. A Escolha do Segmento

Temos encontrado uma maioria de representantes de redes de franquias muito assertivos quanto à necessidade de experiência no segmento como requisito para o sucesso do empreendedor que quer adquirir uma franquia. Contudo, também encontramos franqueadores mais otimistas (ou mais descuidados) que pregam que para prosperar em suas redes o investidor não precisa ter experiência alguma. Pedimos cuidado quando você estiver seduzido a embarcar num negócio em que não tenha nenhuma afinidade ou experiência. Imagine-se sendo proprietário de uma casa de câmbio sem ter a menor noção de finanças e você logo saberá do que estamos falando. Passar a ser dono de seu próprio negócio é uma estimulante e completa mudança de estilo de vida, mas seus esforços e preocupações se multiplicarão. Portanto, melhor que nessa mudança você esteja trabalhando com algo que tenha experiência e afinidade.

3. A Experiência da Franqueadora

Se você leu nosso artigo “20 Sugestões de Franquias de Baixo Custo” você deve saber que, em síntese, franchising é uma estratégia empresarial que consiste em replicar um modelo de negócio pré-existente e bem sucedido. Impensável, portanto, que possa ser seguro adquirir uma franquia de uma empresa com pouca experiência no mercado. Para que uma rede possa, no papel de franqueadora, te oferecer tudo o que deve oferecer, é indispensável que ela tenha construído uma marca ao longo de muitos anos de operação, de maneira que seu modelo de negócio tenha se provado. Se ela tiver larga experiência do modelo de franquia, melhor ainda. Portanto, não é só você que deve ter experiência. A franqueadora também.

Aproveite e estude também a aceitação dos consumidores à marca que você escolher. Se em suas pesquisas você se deparar com um número significativo de reclamações de consumidores sobre os produtos ou os serviços oferecidos pela rede que você está interessado, considere trocar de opção.

4. A Análise da Circular de Oferta de Franquia

A Lei de Franquias impõe que o franqueador deva entregar ao candidato a franqueado uma circular de oferta com o mínimo de 10 dias de antecedência da assinatura de qualquer contrato ou pagamento de qualquer taxa. Esse documento contém importantes informações sobre o negócio e deve ser lido com absoluto cuidado. Recomendamos, inclusive, que você consulte um advogado especializado para evitar dissabores futuros. O mais importante é não se afobar e não ceder à eventual pressão do franqueador. Esse documento normalmente é extenso e exigirá de você algum tempo para a compreensão de todo o seu conteúdo. Coisas como a exclusividade da operação em determinado território, valores de royalties e de fundo de propaganda, treinamento, suporte, regras e padrões, etc., são todas informações extremamente relevantes contidas nela.

De acordo com a Lei, junto com a circular de oferta deverão ser entregues ao candidato pré-contrato e contrato de franquia, dois documentos que também merecerão minuciosa análise. Não os assine antes de ter todas as suas dúvidas sanadas após profunda análise, preferencialmente com o apoio de uma assessoria jurídica. Não seja descuidado.

5. Referências na Própria Rede

A Lei de Franquias também cria importante direito para o candidato a franqueado no que se refere às referências da rede. De fato, segundo dispõe a Lei, a circular de oferta deve trazer a “relação completa de todos os franqueados, subfranqueados e subfranqueadores da rede, bem como dos que se desligaram nos últimos doze meses, com nome, endereço e telefone”. Nossa recomendação é para que você use e abuse dessa prerrogativa, entrando em contato com o máximo de referências que você puder. Dê preferência aos que estiverem mais próximos de sua localidade, já que possivelmente dividirão as mesmas características regionais de mercado. Não deixe de conversar com alguns dos ex-franqueados e colha deles o máximo de explicações que puder acerca da decisão de deixar a rede. Nada justifica que você abra mão dessa oportunidade.

Se, por outro lado, a circular de oferta não trouxer esse detalhamento, o exija, mas já “tire um ponto” do franqueador em razão da falta de transparência e da desobediência à Lei. Se em sua relação ele omitir dados de franqueados ou de ex-franqueados (principalmente) que porventura cheguem ao seu conhecimento, acenda a luz vermelha.

6. Avaliação Financeira Sem Emoção

Conforme já dissemos linhas atrás, não existe mágica que torne uma franquia uma máquina de fazer dinheiro a baixíssimo custo e em curtíssimo prazo. É imprescindível que você estime muito bem o período mínimo que o negócio vai exigir até que ele comece a se pagar (break-even) em contrapartida do período que você despenderá dedicando-se ao empreendimento sem tirar dele seu sustento. Para sobreviver a esse período, você deverá dispor de recursos para arcar com os investimentos totais do negócio e com o necessário capital de giro. Se não contar com eles é melhor não se lançar nessa jornada. Ter mapeado muito bem outras fontes de financiamento para momentos de maiores dificuldades, a custos financeiros razoáveis, é medida de grande utilidade.

O que você não pode fazer é arriscar. Tendo feito as contas, não se deixe cegar pelo otimismo. Se não der para encarar a empreitada, tire o time de campo, reveja sua estratégia, se for o caso se capitalize mais ou encontre um sócio, e só depois volte a dar novas investidas. Aproveite esse tempo para estudar melhor as opções que o mercado te oferece. Só não seja eufórico a ponto de investir economias que podem ter te custado esforços de uma vida inteira num negócio que os números estão aos gritos te dizendo que será uma grande roubada.

7. Não Aja Por Impulso

Você está lidando com o sonho de ter o seu próprio negócio. Ter optado por uma franquia te trará algumas facilidades e alguns custos adicionais. No entanto, uma coisa certamente essa opção não te trará, qual seja, a certeza irrefutável de que você terá sucesso e prosperidade. Portanto, não se deixe levar pela emoção de estar a poucos passos de realizar um sonho. Ser seduzido pelos benefícios da aquisição de uma franquia, sem uma ponderação profunda, pode te levar a cometer um erro gigantesco. Lembre-se do que dissemos em nossas linhas introdutórias: independentemente de ser uma franquia, se trata de um negócio como qualquer outro e traz com ele todos os riscos empresariais inerentes. Por isso, avalie todas as opções que o mercado te oferece para o segmento que você quer atuar, peça ofertas de franquias de outras redes ao menos para criar referências, avalie detidamente a circular de oferta e os modelos de contrato, faça um plano de negócio com diversos cenários financeiros. Gaste tempo em tudo isso e ignore a pressão do franqueador. Não conhecemos um só caso de sucesso entre franqueados precipitados.

8. Pense Que Pode Não Dar Certo

Leve para casa ao menos a seguinte lição que será útil para todos os aspectos de sua vida empresarial: um contrato só serve para regular as coisas que não dão certo. Muitas pessoas analisam contratos sem essa perspectiva e no curso da relação contratual se deparam com omissões inexplicáveis que justificam expressões do tipo “como é que não pensei nisso?”.  Portanto pense! Tente antever tudo o que pode dar errado: você se arrependeu; o dinheiro acabou sem que você tenha quitado o valor da franquia; você não concorda com determinada penalidade prevista no modelo; o suporte da franqueadora está aquém do prometido; o produto ou o serviço encontrou rejeição do mercado sem que você tenha culpa; a publicidade está medíocre; você não concorda que ao final do contrato a carteira de clientes que você construiu fique com a franqueadora (existem previsões desse tipo); a franqueadora permitiu a abertura de uma nova unidade numa localidade muito próxima da sua; o negócio se mostrou invendável; você quer receber restituição do seu dinheiro, etc. É improvável que a circular de oferta, o pré-contrato e o contrato prevejam preponderantemente a defesa dos interesses do franqueado. Pelo contrário, nesses documentos você encontrará principalmente cláusulas contendo garantia de direitos ao franqueador, pois ele fez sua lição de casa. Faça a sua também.

——- x ——-

A escolha de uma franquia pode se mostrar uma decisão muito acertada e você consegue evitar as diversas armadilhas que existem no caminho. Contribua com a sorte aplicando cada uma das recomendações que consignamos acima e suas chances de sucesso se ampliarão. Independentemente disso, não deixe de procurar uma assessoria jurídica para a avaliação dos instrumentos contratuais envolvidos na negociação.

Outros artigos que selecionamos para você:

Rogério Pereira da Silva
Rogério Pereira da Silva

Rogério Pereira da Silva é advogado, contabilista e palestrante, fundador e diretor da FISCONNECT - Assessoria Contábil, escritório de contabilidade que assessora micro e pequenas empresas no estado de São Paulo, pós-graduado em Direito Tributário pela PUC/SP, especialista em Direito Processual Tributário pelo CEU e com MBA em Contabilidade Empresarial pela PUC/SP.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Por que contratar a FISCONNECT?

Presença

O tempo todo ao seu lado quando você precisar

Parceria

Olhar atento sobre seu negócio e suas necessidades

Localização

Local de fácil acesso para te receber quando você precisar

Segurança

Apólice de seguro de responsabilidade civil para seu conforto e segurança

Eficácia

Sempre ofereceremos ao menos uma solução para seu problema

Experiência

Mais de 20 anos de atuação das áreas fiscal e tributária.

Atualização

Profissionais treinados e em constante atualização técnica

Tecnologia

Tecnologia de ponta a serviço do seu negócio